O preço do vexame do São Paulo: o que significa para o clube

A eliminação nas quartas de final do Campeonato Paulista ante o Água Santa pode ter custado caro para o São Paulo. Com a queda, o Tricolor receberá a premiação mínima de R$ 450 mil, oferecidos ao sexto colocado da competição. O valor é bem inferior aos que são ofertados pela FPF (Federação Paulista de Futebol) ao campeão (R$ 5 milhões) e vice-campeão (R$ 1,65 milhões) do Estadual.

Prejuízos financeiros

Além da perda financeira com a premiação mínima, o São Paulo ainda acumula cerca de R$ 6 milhões que deixarão de ser arrecadados com bilheteria com os confrontos como mandante na semifinal e final da competição. Nas metas estipuladas pela gestão Julio Casares e aprovadas pelo Conselho Deliberativo, era esperada a chegada do São Paulo pelo menos à decisão, como ocorreu no ano passado.

Metas traçadas

Nas demais competições, os objetivos traçados pelo São Paulo seguem os mesmos do ano passado. O clube espera chegar à final da Copa Sul-Americana, repetir a semifinal na Copa do Brasil e se classificar para a próxima Copa Libertadores por meio do Campeonato Brasileiro.

Sem a premiação do Paulistão, a tendência é que o cenário financeiro se torne mais complicado para o Tricolor, que já passou a primeira janela europeia do ano em branco. A expectativa é que haja arrecadação de R$ 135 milhões com a negociação de atletas. O balanço de 2022 do São Paulo é esperado para abril, com boas notícias. Os números estão para serem fechados com superávit, o primeiro desde 2018.

Expectativas para o futuro

Com presença recorde de público no Morumbi em seus jogos, além de superar metas esportivas e de venda de atletas, a expectativa é por uma dívida de curto prazo inferior a de longo e redução da dívida geral de cerca de R$ 700 milhões. O clube projeta ter angariado R$ 650 milhões, 17% acima dos R$ 540 milhões previstos inicialmente.

O vexame do São Paulo na eliminação do Campeonato Paulista pode ter custado caro ao clube, que deixará de receber uma premiação mais alta e perderá a chance de arrecadar mais com bilheteria. As metas traçadas pela gestão Julio Casares e aprovadas pelo Conselho Deliberativo não foram alcançadas, o que pode complicar o cenário financeiro do clube. No entanto, há expectativa de melhora com a venda de atletas e a redução da dívida geral do clube.

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.