Três jogos, três vitórias: essa é a campanha do São Paulo contra o Água Santa.

O São Paulo entrará em campo na noite desta segunda-feira (13) no Allianz Parque. carregando o peso do tabu de nunca ter perdido para o Água Santa em sua história. Embora possa parecer uma marca não tão expressiva, ela pode ser importante para evitar vexames recentes. Contra equipes pequenas em outras disputas de quartas de final do Campeonato Paulista.

O time de Diadema, que se profissionalizou em 2013, chega pela primeira vez em um mata-mata do Estadual. Desde então, foram três jogos diante do São Paulo, e três vitórias para o Tricolor. A primeira partida ocorreu em 2016, na primeira participação do Água Santa na primeira divisão do Paulistão, quando o São Paulo goleou o adversário por 4 a 0, no Pacaembu, com gols de Calleri (duas vezes), Thiago Mendes e Michel Bastos.

Quatro anos depois, em 2020, o Água Santa voltou à elite estadual e novamente enfrentou o São Paulo, que venceu por 2 a 0, no Morumbi, com gols de Pablo e Daniel Alves. O último confronto entre eles foi no ano passado, em Diadema, com mais uma vitória são-paulina, desta vez por 2 a 1, com gols de Calleri e Reinaldo pelos visitantes.

O peso do tabu

Embora o tabu possa não parecer muito expressivo, ele pode ter um papel importante na motivação dos jogadores do São Paulo. Afinal, enfrentar um time menor pode ser um desafio maior do que jogar contra um adversário mais forte. Isso porque, muitas vezes, os times menores jogam com uma motivação extra contra os grandes, e podem surpreender em momentos cruciais da partida.

Além disso, o São Paulo tem um histórico recente de derrotas para equipes menores em mata-matas do Campeonato Paulista. Em 2014, o time foi eliminado nos pênaltis pela Penapolense, após um sonolento empate em 0 a 0 com o Morumbi cheio.

Mas o pior estava por vir em 2020, após a volta do futebol com a pausa por conta da pandemia da Covid-19. Na ocasião, o Tricolor recebeu o Mirassol também no Morumbi e caiu por 3 a 2, em um jogo que ficou marcado pela falta de vontade e pela apatia do time.

Diante disso, a marca de nunca ter perdido para o Água Santa pode ser um alívio para o São Paulo, que precisa garantir a vaga na semifinal para se recuperar dos vexames recentes e tentar conquistar o título do Campeonato Paulista.

O desafio no Allianz Parque

O tabu de nunca ter perdido para o Água Santa pode trazer um alívio para o São Paulo nesta partida decisiva. Afinal, em outras ocasiões, o time tricolor já sofreu vexames diante de equipes consideradas pequenas no Campeonato Paulista. Por isso, é importante que os jogadores entrem em campo com foco total e evitem qualquer tipo de excesso de confiança.

Ainda mais, com o fato de que o jogo será realizado no Allianz Parque, o estádio do rival Palmeiras, já que o Morumbi está indisponível. Isso pode ser visto como um fator extra de motivação para a equipe. Já que enfrentar um adversário em seu próprio estádio e sair vitorioso pode trazer uma satisfação ainda maior.

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.